sábado, 4 de outubro de 2014

[Novidades] - Planeta Editora: Outubro 2014

FICÇÃO NACIONAL 

Título: O Homem que era Salazar
Autor:
 Anónimo
N.º de Páginas: 128 páginas, 4 págs. extratexto
PVP: 14,41 €
Nas livrarias a partir de 8 de Outubro

Uma ficção de autor anónimo que se constrói como uma «Parábola do Portugal contemporâneo para uso dos cidadãosdesprevenidos».

E se Salazar voltasse hoje, em 2014, a Portugal e à política «à portuguesa»?
Um livro que vai dar muito que falar, com ilustrações de Nuno Saraiva
O que faria Salazar hoje?
O autor do presente conto, que não o assina, pois não deseja que, à semelhança do que aconteceu com o actor da história original, o confundam com o personagem principal, espera que não vejam este trabalho com o sentimento de alguém que faz a apologia do salazarismo e do Estado Novo. Deseja tão-somente que se faça hoje uma reflexão dos 40 anos de democracia que já temos, sem esquecer os 40 anos de poder que foi dado a Salazar.
É nesta intersecção histórica em que nos encontramos que devemos imaginar como seria Portugal se, tal como aconteceu no caso real de Pedro Montoya, aparecesse por aí novamente o ditador Salazar.

«Naquela noite, o actor que interpretava o ditador António de Oliveira Salazar, na peça de teatro Ó Tempo Vota para Trás!, discutiu com o encenador, saiu disparado do camarim sem despir a roupa de cena e decidiu ir jantar ao Gambrinus.»

E as consequências deste rompante perdulário foram dramáticas para o povo daquele pequeno-grande país à beira do Atlântico, a braços com crises de vários tipos, atolado em dívidas e em dúvidas sobre o seu futuro, mas muito consciente das glórias do seu passado...
O que poderia acontecer se, como tantas vezes se ouve nas conversas de café e não só, Salazar regressasse, hoje, a Portugal?

«A apresentadora do programa Há Festa na Aldeia preparou-se para anunciar o próximo convidado. O seu timbre de voz, apesar de estridente, não deixava de ser uma imagem de marca. Podia mesmo dizer-se que até contribuía para o sucesso das audiências, sendo aquele o programa da manhã com a maior audiência entre todos os outros canais concorrentes.
– Antes de apresentar o nosso último convidado, não se esqueça de que ainda pode ligar para o número trezentos, vinte, vinte e habilitar-se a ganhar o magnífico prémio que temos para si! […]
A produtora deu uma indicação com a mão direita para avisar o actor que ele estava prestes a entrar.
– E o meu próximo convidado – começou por anunciar a apresentadora – é doutor em Direito, foi professor em Coimbra das cadeiras de Economia Política, Ciência das Finanças e Economia Social. Foi ainda deputado, ministro das Finanças, Negócios Estrangeiros, Colónias e da Guerra. Estamos a falar do presidente do Conselho de Ministros… – elevou ainda mais a voz para anunciar o nome – António de Oliveira Salazar!
O assistente de realização esbracejou, frenético, a pedir fortes aplausos da parte do público e este respondeu com entusiasmo. O actor sabia que aquela era a deixa e entrou em estúdio, acenando ao público com um ar tímido. Estava já a representar o papel de um Salazar que não lidava bem com grandes contactos com o público.»

Excerto do livro

NÃO FICÇÃO NACIONAL 

Título: Como Sobreviver a Portugal continuando a ser Português
Autor: 
Gabriel Magalhães
N.º de páginas: 160
PVP: 15,40 € 

Um livro que todos os portugueses desencantados precisam de ler.

Um ensaio provocatório.
Uma análise impiedosa dos nossos defeitos.
Uma obra polémica que não deixará ninguém indiferente, mas deixará cada um pensar sobre quem somos e, principalmente, quem queremos ser, como povo e como indivíduos.
Numa altura em que a troca de ideias se espartilha em um ou dois modelos oficiais de debate, Gabriel Magalhães expõe ideias com uma clareza, um desassombro e uma serenidade que nos faz acreditar que a liberdade de pensamento e opinião ainda existe e é praticável. Este livro é um ensaio, no qual se reflecte sobre os actuais dramas da situação nacional, numa perspectiva que é, simultaneamente, crítica e optimista. Não estamos nem perante um doloroso hara-kiri português, nem diante de uma exaltação nacionalista acrítica.
Também não se trata de um trabalho académico. Pelo contrário, o texto viverá numa certa leveza, que não impede uma intenção de profundidade.
O ensaísta Gabriel Magalhães, que escreve normalmente sobre os portugueses para os estrangeiros, e que agora o faz directamente para os seus concidadãos, conversa e interpela directamente os leitores num tom directo, claro e conversável.
Partindo da noção de Confúcio de “Caminho do Meio”, explicar-se-á que Portugal foi uma grande nação do fim da Idade Média, porventura a mais brilhante que a Europa teve nesse período. Foi assim que o país abriu as rotas da Idade Moderna, no sentido histórico desta expressão. Contudo, esta nação, que rasgou os horizontes da modernidade, nunca achou um modo de se tornar, ela própria, moderna e contemporânea.
Há um pacto que está por fazer, em Portugal, com a modernidade e com a contemporaneidade. Ao falarmos no “Caminho do Meio português”, referimo-nos precisamente a um esboço, por nós proposto, de como esse pacto se poderia finalmente assinar.

“Uma das maiores derrotas da nossa Terceira República, inaugurada com o 25 de Abril, esse canteiro de flores da nossa história, consiste no seguinte: olhamos lá para cima, para os tronos e potestades do país – e vemos uma fauna de gente poderosa, uma zoologia de políticos, banqueiros, jornalistas e homens de negócios que controlam o jogo de xadrez lusitano. Perante eles, nós, banais Portugueses, pouco podemos. É claro que uma pessoa, se quiser, se entretém a resmungar intensamente. Mas tais desabafos não mudam a ordem das coisas: eles estão lá acima, invulneráveis, reproduzindo-se, e nós vivemos cá em baixo, penando tristemente as nossas vidas. Esta impressão de uma injustiça estrutural que macula a nação é muito viva na maioria dos Portugueses deste momento. É como se, nas alturas mais altas do país, existisse uma cidadela que tem muito de castelo de senhor feudal: um âmbito privilegiado, com muralhas, onde não entra quem quer. Por isso mesmo, tantos Portugueses têm a sensação de viverem exilados no seu próprio país. Falam – e não os ouvem. Movem-se, agitam-se – e não chegam a lado nenhum. A vida constitui um pesadelo kafkiano em que nós somos os agrimensores, e eles, os habitantes do castelo, mandam no país inteiro.» Excerto do livro

Sobre o autor:
Gabriel Magalhães (Luanda, 1965) publicou já três romances: Não Tenhas Medo do Escuro (Difel, 2009), uma obra que obteve o Prémio de Revelação da APE, Planície de Espelhos (Difel, 2010) e Madrugada na Tua Alma (Alêtheia, 2011).

Tendo vivido uma parte considerável da sua vida em Espanha, alguns dos seus trabalhos literários foram escritos em castelhano e publicados no país vizinho: estão neste caso as crónicas que aparecem mensalmente no diário La Vanguardia, de Barcelona, e o ensaio Los secretos de Portugal: peninsularidad e iberismo (RBA, 2012). Em 2013, saiu o seu primeiro volume de reflexões espirituais: Espelho Meu: A Leitura Diária do Evangelho Pode Mudar a Vida (Paulinas, 2013) – a edição italiana deste ensaio está neste momento em curso. Para além da sua actividade literária, trabalha como professor de literatura na Universidade da Beira Interior. Reside na Covilhã, é casado e pai de uma filha.

FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: Surpreende-me
Autor:
 Megan Maxwell
N.º de Páginas: 408
PVP: 17,76 €
Nas livrarias a partir de 08 de Outubro

Acaba de chegar a tão desejada sequela da série erótica mais escaldante de sempre: Pede-me o que Quiseres

Quem leu a trilogia Pede-me o que Quiseres ficou irremediavelmente seduzida por duas das personagens secundárias mais cativantes desta série: Björn e Melanie, que agora protagonizam uma história de amor escaldante e de sexo tórrido.
Os melhores amigos de Eric e Judith entregam-se a uma paixão avassaladora, mas escondem esse facto de todos. Terão de vencer os seus preconceitos se realmente ainda querem amar e construir juntos uma nova vida.
Amor, sexo e luxúria sem limites para ler sem moderação.
Björn é um atraente advogado a quem a vida sempre sorriu. É um homem ardente, alérgico ao compromisso e agrada-lhe desfrutar da companhia feminina nos seus jogos sexuais. Melanie é uma mulher de acção. Como piloto do exército americano está acostumada a levar a vida ao limite, no entanto, a sua principal missão é a de lutar como mãe solteira pelo bem-estar da filha. Quando o destino os põe frente a frente, a tensão entre eles torna-se evidente. O que no começo foi um encontro hostil, pouco a pouco irá converter-se numa atracção irresistível. Conseguirão estes dois titãs entender-se?

Com este romance Megan Maxwell supera-se a ela própria. Surpreende-me é uma intensa história de amor, povoada de fantasias sexuais, tensão e erotismo, onde os protagonistas tratam por tu a paixão.
Björn é uma personagem incrível, extremamente divertido e conquista o leitor a cada capítulo.
Um romance que prende logo nas primeiras páginas pelas cenas altamente escaldantes.

Sobre a autora:
Megan Maxwell é uma reconhecida e prolífica escritora do género romântico. Filha de mãe espanhola e pai americano publicou vários romances.
Em 2010 ganhou o Premio Internacional Seseña de Novela Romántica; em 2010, 2011 e 2012 recebeu o Premio Dama de Clubromantica.com; em 2013 o Aura Galardão do Encuentro Yo Leo RA. Vive numa encantadora aldeia nos arredores de Madrid, na companhia do marido, dos filhos, do cão Drako e do gato Romeo. 
Encontrará mais informação sobre a autora e a sua obra em www.megan-maxwell.com

NÃO FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: João Paulo II: Estou Muito nas Mãos de Deus - Os Apontamentos Pessoais 1962 - 2003
Autor:
 Karol Wojtyla
N.º de Páginas: 608
PVP: 27,75€
Nas livrarias a partir de 8 de Outubro 

Um livro de referência, com pensamentos, divagações e opiniões de um dos papas mais carismáticos dos últimos tempos.
Um livro extraordinário de leitura imprescindível para todos os católicos e não só.

«Não queimei os apontamentos de João Paulo II, uma vez que constituem a chave para entender a sua espiritualidade, ou seja, o que é mais íntimo no homem: a sua relação com Deus, com os outros e com si mesmo.» Cardeal Stanisław Dziwisz
Metropolita de Cracóvia

SEGREDOS DA ALMA DE JOÃO PAULO II
Os Apontamentos Pessoais são um registo de quarenta anos de uma jornada espiritual extraordinária. A partir da primeira afirmação decisiva «Estou muito nas mãos de Deus», até a reflexão de que «O tempo está cumprido», e o último Deo gratias (Graças a Deus), acompanhamos Karol Wojtyla – João Paulo II - em momentos-chave da sua vida e ministério. 

Em dois cadernos modestos encontramos as suas questões pessoais mais importantes, as meditações e orações profundas e comoventes, que estabelecem o ritmo do dia-a-dia. Mas há também as entradas que são uma prova da preocupação com os próximos – amigos, colaboradores – e com a Igreja confiada a ele. Estes apontamentos, apesar de registarem os momentos particulares, vão mais além da vida de João Paulo II, transportando-nos para onde o humano e o divino se juntam numa dimensão da santidade.
Estas notas pessoais de João Paulo II despertaram um enorme interesse desde o momento da sua morte.
No seu testamento, o papa deixou instruções para que fossem queimadas pelo Pe. Stanisław Dziwisz, o seu secretário e pessoa mais próxima, que o acompanhou por mais de 40 anos no seu ministério episcopal e papal em Cracóvia e Roma.

Devido ao seu respeito por João Paulo II, o actual metropólia de Cracóvia não destruiu todos os apontamentos, e apresentou-as à Congregação para as Causas dos Santos, para poderem ser examinadas no processo da beatificação. Uma breve leitura foi o suficiente para confirmar que o autor levou uma intensa vida interior que influenciou todas as dimensões da sua actividade.

«Tal pedido deixou o Santo Padre João Paulo II no seu testamento. Fielmente cumpria vontade do Santo Padre depois da sua morte em 2005, doando todas as coisas que ele possuía, especialmente as lembranças pessoais. No entanto, não tive a coragem de queimar as cartas e cadernos com os apontamentos pessoais que ele deixou, pois contêm as informações importantes sobre a sua vida. Vi-os sobre a mesa do Santo Padre, mas nunca os folheei. Quando li o testamento, fiquei muito comovido pelo facto de que o João Paulo II, a quem acompanhei durante cerca de quarenta anos, me ter também confiado os seus assuntos pessoais.

Não queimei os apontamentos de João Paulo II, uma vez constituírem a chave para entender a sua espiritualidade, ou seja, o que é mais íntimo no homem: a sua relação com Deus, com os outros e consigo mesmo. Estes apontamentos revelam o outro lado da pessoa que nós conhecíamos na qualidade de bispo de Cracóvia e Roma, o Pedro dos nossos tempos, o Pastor da Igreja universal. Os apontamentos reflectem a sua vida ainda nos tempos anteriores, nos anos em que recebeu a ordenação episcopal e obteve o bispado em Cracóvia. Permitem conhecer o relacionamento íntimo e pessoal da fé com Deus Criador, o Doador da vida, o Mestre e Professor. Demonstram, ao mesmo tempo, a fonte da sua espiritualidade.
Oxalá a leitura dos apontamentos espirituais de João Paulo II ajude todos a descobrir as profundezas espirituais do homem do século XXI, e leve a um amor ainda maior a Deus e às pessoas.»
 Cardeal Stanislaw Dziwisz

O livro contém fotografias de João Paulo II e imagens com reproduções em fac-símile de seus cadernos.

KAROL WOJTYLA
1920-2005.
Nasceu na pequena cidade polaca de Wadovice perto de Cracóvia. Na década de 1960 foi arcebispo de Cracóvia e depois eleito cardeal. Em Outubro de 1978 tornou-se papa da Igreja Católica e adoptou o nome de João Paulo II. Teve o terceiro maior pontificado da história. Atingindo pela doença de Parkison morreu em 2005 aos 84 anos. Em 2011 foi beatificado pelo papa Bento XVI.

Título: Edição de Aniversário - 60 ANOS
Guinness World Records

N.º de páginas: 256
PVP: 27,75 €
Disponível a partir de 8 de Outubro 

Os novos e +espectaculares recordes do mundo Fotos verdadeiramente surpreendentes
Tecnologia 3Dcom mais e melhores realidades aumentadas
60 anos de recordes em retrospectiva.

Edição Especial Aniversário de Diamante do livro anual mais vendido do mundo.
• Milhares de recordes actualizados e novas fotografias.
• Descubra a substância mais pestilenta.
• Arrepie-se com o explorador polar mais jovem.
• Conheça os animais de estimação mais talentosos.
E AINDA…
• Retrospectiva – acompanhe a evolução dos recordes nos últimos 60 anos.
• Compare a sua altura com a do homem mais alto do mundo na nossa app GRÁTIS de realidade aumentada. E terá a oportunidade única de tirar uma foto ao lado deste clássico.

Vai encontrar «Retrospectivas», no início de cada capítulo. Cada uma explora um tema recorde – como os 60 anos no espaço, ou novas descobertas animais ou tecnologias de comunicações.
• É traçada a evolução de algumas das categorias de recordes favoritas..
• Uma das razões do sucesso do Guinness World Records ao longo dos últimos 60 anos é que tentou sempre abraçar os novos hábitos, modas ou tecnologias.
É um livro de referência que reflecte sobre o que está a acontecer à nossa volta.
• Este ano não é excepção, e é por isso que vai encontrar novas categorias de temas, tais como a impressão em 3D, Instagram e Twitter, transportes alternativos e a pirataria digital. 


JUVENIL 

Título: Destrói este Diário
Autor:
 Keri Smith
N.º de Páginas: 224
PVP: 11€.
A partir de 8 de Outubro

Para todos os espíritos criativos e inconformistas de todas as idades!

Um livro interactivo, que chega para estimular e desafiar a nossa criatividade e imaginação de uma forma bem ousada. Sempre quis destruir um livro e nunca teve coragem?
Destrói este Diário é para todos aqueles que sempre quiseram, mas não conseguiram começar, manter ou acabar um diário. Este livro foi lançado em 2007 pela ilustradora e autora de bestsellers, Keri Smith, e tornou-se logo um dos presentes de Natal mais procurados do ano.
Pode ser «lido» sem uma ordem predeterminada. Abra uma página ao acaso e deixe-se surpreender. Cada página vem com uma proposta diferente e cabe ao leitor interpretar a melhor maneira de a executar
TRATE MAL AS PÁGINAS EM BRANCO E VEJA COMO ELAS RESPONDEM BEM!

Título: Diário de Aventuras
Autor:
 Geronimo Stilton
N.º de Páginas: 144
PVP: 14,40€
Disponível a partir de 8 de Outubro 

Quem não tem segredos?
Pois agora, os jovens fãs do rato mais famoso do mundo podem escrevê-los e guardá-los neste fantástico diário.

Com oferta de MOLDURA MAGNÉTICA para as tuas fotos

Querid@ Ratoamig@ este é o meu diário de aventuras. É um livro cheio de histórias engraçadas e segredos, para escreveres tudo o que te acontece. Também encontrarás actividades, trabalhos manuais, ideias para prendas e para te mascarares.

O Diário de Aventuras, em capa dura, vai permitir aos mais novos guardarem todos os seus momentos na escola, com os amigos, com a família, para mais tarde recordarem.

O Diário de Aventuras inclui ainda uma agenda e muitas actividades.



Sem comentários:

Enviar um comentário