quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

[Opiniões Tertulianas] - "O Véu Pintado"

Hoje o tertúlias traz-vos uma nova rubrica, desta vez com a colaboração de algumas das nossas leitoras.
Nesta vão ser apresentadas opiniões sobre aquilo que as leitoras escolherem, geralmente livros, mas poderá ser qualquer outra coisa:) O que vos parece?


"O Véu Pintado" de Somerset Maugham



"Através do despertar espiritual da adorável e fútil Kitty, Somerset Maugham pinta um retrato vívido da presença britânica na China e apresenta-nos uma galeria de personagens inesquecíveis. "


Um clássico que já foi adaptado ao cinema. Um livro que figura muitas das wishlists dos adoradores de livros.Uma história que já fez parte das mentes de quem já o leu. 

O Véu Pintado, com a sua melancolia, a sua tensão moral, a sua ironia e compaixão, a sua evocação crescente de luxúria, terror e arrependimento, é uma obra de arte.”
The Spectator




"Já li imensos livros ao longo da vida e claro que tenho muitos que guardei num lugar especial por serem os meu preferidos, e hoje vou falar de um deles, raramente isto acontece mas, li o livro e vi o filme e não me decepcionou, pois na maioria das vezes a adaptação de um livro ao cinema desmerece-o.

A minha escolha recai sobre:

"O Véu Pintado" de Somerset Maugham. Escrito em 1925.

É um livro lindíssimo, cheio de sentimentos, emoções fortes. Com descrições belíssimas quer das personagens quer das paisagens, dos lugares por onde vão passando na China, de uma beleza ímpar.

Magistralmente bem escrito, centra-se em 3 personagens principais, Kitty, Walter (marido de Kitty) e Charles Townsend (amante de Kitty),que nos mostram que a vida afinal não é como a pintamos.

Uma história de amor, traição, vingança, onde o autor consegue sem dúvida mostrar que conhece bem a mente humana.
Com um enredo bem pensado, onde a vida nos é apresentada de maneira mais simples, mas, mostra que também dá muitas voltas e reviravoltas, e, que as coisas por vezes não correm exactamente como previsto, antes pelo contrário, prega-nos muitas partidas.

Este livro marcou-me profundamente, apesar de ter lido já há alguns anos, recordo-me na altura que aconteceu estar tão envolvida e arrebatada na sua leitura que cheguei a chorar em locais públicos, e ficarem a olhar para mim, mas era mais forte do que eu, não conseguia controlar-me e outras vezes fechava o livro de supetão tal era a revolta que sentia, ficava mesmo zangada, foram vários os sentimentos profundos que senti a ler este livro, ora tinha momentos de ternura, de alegria, de tristeza,  de empatia, ou, logo a seguir emanava raiva dentro de mim, mas era o do amor que mais prevalecia.
Não queria  terminar a sua leitura tal era a envolvência com a sua história e as suas personagens arrebatadoras, que faziam com que eu estivesse dentro do livro.

Só um grande escritor tem esta capacidade de envolver os seus leitores na sua escrita e Somerset consegue, pois brindou-nos com uma história magnifica ao escrever este livro sublime, tocante e marcante sem dúvida alguma.
Recomendo sem reservas pois é um livro que todos devem ler e reler.

Excertos:

“Por vezes, a maior viagem é a distância entre duas pessoas"

"...esse véu pintado a que os que vivem chamam Vida."


"... a única coisa que nos permite olhar este mundo em que vivemos sem asco é a beleza que, de vez em quando, os homens fazem brotar do caos."

"Só alcançarás o que queres, quando tiveres deixado de o desejar ...

"... se por vezes é preciso mentir aos outros, é sempre deplorável mentir a si própria." 
"
Odete Silva






[Novidades] - ASA: À Procura de Alaska, de John Green

ASA vai publicar The Fault in Our Stars, o livro sensação de John Green

Na semana em que lança em Portugal o primeiro livro de John Green – À Procura de Alaska – a ASA assegurou também os direitos de publicação em Portugal do livro deste mesmo autor que está a revolucionar a leitura jovem nos Estados Unidos – The Fault in Our Stars, ainda sem titulo em português, foi lançado em janeiro nos Estados Unidos da América e conquistou de imediato o nº 1 dos principais tops de vendas – incluindo os do jornal The  New York Times, Wall Street Journal e USA Today. Nos E.U.A, a cobertura mediática em torno da publicação do livro está a ter um enorme impacto e os jornais apelidaram-no de “notável” e “perfeito”, enquanto o autor enche auditórios com milhares de fãs em êxtase – só na segunda quinzena de janeiro realizou mais de 16 sessões em livrarias, escolas e universidades americanas. Chamam-lhe “o menino bonito do multimédia” talvez pelo facto de se encarregar pessoalmente da promoção dos seus livros através das redes sociais - tem mais de um milhão de amigos no twitter.
Em Portugal, o primeiro sinal deste fenómeno chega esta semana com  À Procura de Alaska mas o seu livro sensação, The Fault in Our Stars, será publicado pela ASA no último quadrimestre de 2012. Os direitos para filme foram já adquiridos pela Fox 2000 e a equipa responsável pela produção será a mesma que rodou a série Twilight
 
 À Procura de Alaska, de John Green


Sinopse:

A ASA lança esta semana o livro À Procura de Alaska, de John Green. A obra conta a história de Miles Halter, um miúdo fascinado com “famosas últimas palavras” e cansado de viver no aconchego caseiro. Quando Miles vai parar a um colégio interno procurar aquilo a que o poeta François Rabelais chamava de o “Grande Talvez”, vai encontrar um outro universo do qual faz parte uma jovem chamada Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante, Alaska atrai Miles para o seu labirinto e catapulta-o para esse “Grande Talvez” tão desejado. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas quando a tragédia lhe bate à porta, ele descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional. Nunca mais nada será como era.
«Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos – esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa.” 
 
Sobre o Autor:
John Green é autor de vários bestsellers do jornal The New York Times. Recebeu os prémios Michael L. Printz Award e o Edgar Award e foi, por duas vezes, finalista do L.A. Times Book Prize. Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte línguas. John é também o co-criador, com o seu irmão Hank, do vlogbrothers, uma série de vídeos on-line que já ultrapassaram as 200 milhões de visualizações. Pode ver esses vídeos e saber mais sobre John Green em www.johngreenbooks.com

Prémio Autores 2012 - os Vencedores



Na segunda feira,à noite, decorreu a entrega dos Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores, com Catarina furtado como anfitriã. Sempre bem humorada e elegante entregou os prémios que distinguem os melhores artistas portugueses do ano, em diversas categorias. Aqui ficam os vencedores da noite.


Categoria: Artes Visuais

Melhor Exposição de Artes Plásticas


Fora de Escala
de Manuel Baptista



Melhor Trabalho de Fotografia


O PREC já não mora aqui
de João Pina





Melhor Trabalho Cenográfico

A Varanda
de Cristina Reis


Categoria: Cinema

Melhor Argumento


João Canijo
em o Sangue do meu Sangue

Melhor Filme


Sangue do meu Sangue
de João Canijo



Melhor Actriz

Rita Blanco
em Sangue do meu Sangue





Melhor Actor

Nuno Melo
em O Barão


Categoria: Dança
Melhor Coreografia


Icosahedron
de Tânia Carvalho



Categoria: Literatura

Melhor Livro de Ficção Narrativa


Tiago Veiga. Uma Biografia
de Mário Cláudio




Melhor Livro de Poesia

A Mão na Água que Corre de José Manuel de Vasconcelos



Melhor Livro Infanto-Juvenil

A casa sincronizada de Inês Pupo e Gonçalo Pratas Ilustração de Pedro Brito


Categoria: Música

Melhor Canção


E Fomos pela Água do Rio do Álbum em Busca das Montanhas Azuis de Fausto Bordalo Dias


Melhor Disco

Em Busca das Montanhas Azuis de Fausto Bordalo Dias


Melhor Trabalho de Música Erudita

Interpretação da Integral de Chopin de Artur Pizzarro


Categoria: Rádio


Melhor Programa de Rádio


Caderneta de Cromos
de Nuno Markl


Categoria:Teatro


Melhor Texto português Representado



Israel de Pedro Penim


Melhor Espectáculo


A Missão - Recordações de uma Revoluçao de Mónica Calle


Melhor Actriz

Luísa Cruz em A Varanda


Melhor Actor

Luís Miguel Cintra em Ela


Categoria: Televisão


Melhor Programa de Informação


Linha da Frente de Mafalda Gameiro / RTP1


Melhor Programa de Ficção

O Último a Sair de Bruno Nogueira, Frederico Pombares e João Quadros / Sérgio Graciano, André Banza e Ricardo Freitas


Melhor Programa de Entretenimento

Cuidado com a Língua de
José Mário Costa / Ricardo Freitas

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

[Espaço Psicologia] - Psicologia da Educação

 
A Temática central da psicologia da educação é hoje a dinâmica que se constrói entre ensino e aprendizagem, temática em que esta área iniciou fortemente a sua investigação no início do século XX. É importante referir que no início do século XXI, esta disciplina não perdeu de vista a sua temática geral: estudar as dimensões psicológicas dos processos educativos em toda a sua amplitude, com uma relevância nos processos de ensino e aprendizagem, assumindo que a aprendizagem também acontece fora da escola e muitas vezes divorciada da dimensão ensino. Quem nunca aprendeu sem ser ensinado? Contudo, à medida que avançamos nas funções mentais superiores, mais o outro nos faz falta.
Assim, na actualidade, a aprendizagem é concebida como um processo de construção, com um carácter intrinsecamente social, interpessoal e comunicativo, e o ensino como um processo complexo de estruturação, orientação e organização de apoios e suportes culturais facilitadores dessa construção.
Neste contexto, a psicologia da educação ultrapassa a fronteira da aplicação de avaliações psicológicas e psicopedagógicas bem como a aceitação redutora da prática clínica num determinado contexto. Por exemplo, na escola, concebendo a criança apenas na sua condição de aluno ou, num lar de idosos, um adulto na sua condição de utente.  
A psicologia da educação considera que o desenvolvimento psicológico não pode acontecer fora de uma cultura e dos seus agentes diversificados. Considera ainda que este desenvolvimento psicológico acontece ao longo de toda a vida, onde a aprendizagem é um processo contínuo e permanente, sobretudo, na interacção com outros mais competentes, como nos ensinou Vigotsky.
A Eterna questão permanece: em que contextos poderá intervir um psicólogo educacional? De um modo geral, e não querendo competir com a megalomania induzida da psicologia clínica, um psicólogo educacional poderá intervir em contextos onde seja necessário construir uma aprendizagem que permaneça, que se automatize e que se interiorize – um conhecimento, uma capacidade, um comportamento, um saber fazer, um saber dizer, um automatismo, uma habilidade visual, auditiva, motora, manual ou até uma capacidade organizativa ou directiva. Tudo isto a partir da interiorização da relação social criada na interacção, posteriormente expressa de forma autónoma, depois de ter sido sustentada e realizada exteriormente de um modo explícito.
Sérgio Gaitas, psicólogo educacional

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Razzies 2012 - Os Nomeados

Já ouviram falar nos Razzies?  Sabem o que são? São os "Óscares" para os piores do ano. Aqui ficam os nomeados.

 

 

Pior Filme
"Bucky Larson: Born to Be a Star"
"Jack e Jill"
"Ano Novo, Vida Nova!"
"Transformers 3"
"A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"


 

Pior Actor
Russell Brand em "Arthur"
Nicolas Cage em "Destino Infernal", "Época das Bruxas" e "Transgressão"
Taylor Lautner em "Abduction" e "A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"
Adam Sandler em "Jack e Jill" e "Engana-me Que Eu Gosto"
Nick Swardson em "Bucky Larson: Born to Be a Star"

 

Pior Actriz
Martin Lawrence em "O Agente Disfarçado: Tal Pai, Tal Filho"
Sarah Palin em "Sarah Palin: The Undefeated"
Sarah Jessica Parker em "Não Sei Como Ela Consegue" e "Ano Novo, Vida Nova!"
Adam Sandler em Jack e Jill
Kristen Stewart em "A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"


 

 

Pior Actor Secundário
Patrick Dempsey em "Transformers 3"
James Franco em "Real Desatino"
Ken Jeong em "O Agente Disfarçado: Tal Pai, Tal Filho", "A Ressaca: Parte II", "Transformers 3" e "O Guarda do Zoo"
Al Pacino em "Jack e Jill"
Nick Swardson em "Jack e Jill" e "Engana-me Que Eu Gosto"

 

Pior Actriz Secundária
Katie Holmes em "Jack e Jill"
Brandon T. Jackson em "O Agente Disfarçado: Tal Pai, Tal Filho"
Nicole Kidman em "Engana-me Que Eu Gosto"
David Spade em "Jack e Jill"
Rosie Huntington-Whiteley em "Transformers 3"

 

 

Pior Elenco
"Bucky Larson: Born to Be a Star"
"Jack e Jill"
"Ano Novo, Vida Nova!"
"Transformers 3"
"A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"

 

 

Pior Realizador
Michael Bay por "Transformers 3"
Tom Brady por "Bucky Larson: Born to Be a Star"
Bill Condon por "A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"
Dennis Dugan por "Jack e Jill" e "Engana-me Que Eu Gosto"
Garry Marshall por New Year's Eve

 

 

 

Pior Remake, Prequela, Sequela ou Copianço descarado
"Arthur"
"Bucky Larson: Born to Be a Star"
"A Ressaca: Parte II
"Jack e Jill"
"A Saga Twilight: Amanhecer - Parte II
 

 

 

Pior Casal
Nicolas Cage e qualquer atriz que contracene com ele
Shia LeBeouf e Rosie Huntington-Whiteley em "Transformers 3"
Adam Sandler e Jennifer Aniston/Brooklyn Decker em "Engana-me Que Eu Gosto"
Adam Sandler e Katie Holmes/Al Pacino/Adam Sandler em "Jack & Jill"
Kristen Stewart e Taylor Lautner/Robert Pattinson

 

 

Pior Argumento
Bucky Larson: Born to Be a Star
"Jack e Jill"
Ano Novo, Vida Nova!"
"Transformers 3"
"A Saga Twilight: Amanhecer - Parte I"

Óscares 2012 - Os Vencedores

Para quem não viu os Óscares, aqui ficam os vencedores.



Vencedores:

Melhor Filme: «O Artista»


Melhor Realizador: Michel Hazanavicius «O Artista»

Melhor Ator Principal: Jean Dujardin «O Artista»

Melhor Ator Secundário: Christopher Plummer «Assim é o Amor»

Melhor Atriz Principal: Meryl Streep «A Dama de Ferro»

Melhor Atriz Secundária: Octavia Spencer «As Serviçais»

Melhor Argumento Original: «Meia-Noite em Paris»

Melhor Argumento Adaptado: «Os Descendentes»

Melhor Filme Estrangeiro: «A Separation» (Irão)

Melhor Filme de Animação: «Rango»

Melhor Filme de Animação em Curta-metragem: «The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore»

Curta-Metragem (live action): «The Shore»

Melhor Documentário em Curta-metragem: «Saving Face»

Melhor Fotografia: «A Invenção de Hugo»

Melhor Montagem: «Millenium 1: Os Homens que Odeiam as Mulheres»

Melhores Efeitos Visuais: «A Invenção de Hugo»

Melhor Banda Sonora Original: «O Artista»

Melhor Canção Original: «Man or Muppet» (Os Marretas)

Melhor Mistura de Som: «A Invenção de Hugo»

Melhor Maquilhagem: «A Dama de Ferro»

Melhor Guarda-Roupa: «O Artista»

Melhor Direção Artística: «A Invenção de Hugo»

[As Receitas da Marina] - Brigadeiro

Hoje, para vos adoçar a semana,trago-vos mais uma receita da Marina. Brigadeiro, gostam?



Ingredientes:
 - 5 ovos
 - 250gr de açúcar
 - 200gr de chocolate em tablete para culinária
 - 100gr de manteiga
 - 200gr de farinha
 - 2 dl de leite
 - 1 colher de chá de fermento em pó
 - 1 pitada de sal fino
 - Margarina para untar
 - Farinha para polvilhar
Para o Recheio:
 - 2 latas de leite condensado
 - 125gr de chocolate em pó
 - 2 colher de sopa de manteiga
 - Pepitas de chocolate q.b.
 - 2 latas de leite

Preparação:
 - Unte uma forma redonda com margarina e polvilhe-a com farinha.
 - Num tacho com água, coloque outro tacho por cima. (Este processo é conhecido por banho maria). No tacho, coloque as 100g de manteiga e a tablete de chocolate partido em pedacinhos, deixe derreter tudo e mexa de vez em quando para ficar com uma mistura homogénea. Depois do chocolate derretido, apague o lume.
 - Parta os ovos e separe as gemas das claras, junte o açúcar às gemas e bata até ficar uma gemada. Depois da gemada feita, continue a bater e junte aos poucos o chocolate derretido. Depois da gemada e do chocolate bem misturados, junte aos poucos enquanto bate, o leite alternadamente com a farinha e o fermento.
 - Bata as claras em castelo com uma pitada de sal fino. Envolva as claras na massa do bolo. Depois de tudo envolvido, deite a massa do bolo na forma.
 - Leve ao forno pré-aquecido nos 170º entre 50 minutos a 1 hora. Passado 1 hora retire o bolo do forno e desenforme-o. Com uma faca de serrilha e com cuidado, abra o bolo ao meio e deixe arrefecer as duas metades.
 - Num tacho anti-aderente, coloque o as 2 latas latas de leite condensado e junte o chocolate em pó, misture tudo muito bem. Junte as duas latas de leite e por fim, junte as duas colheres de sopa de manteiga. Coloque em lume brando e mexa sempre até engrossar. Quando o molho estiver bem grosso está pronto. Apague o lume e deixe arrefecer.
 - Depois de tudo frio, recheie o bolo com metade do creme e cubra com a outra metade do bolo. Polvilhe o bolo com as pepitas de chocolate
Podem ver esta e mais receitas em: http://em-marinada.blogspot.com/ 

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Óscares 2012 - Os Nomeados

Hoje é a grande noite dos Óscares 2012. E vocês já sabem quem são os nomeados?

Melhor Filme:

«Cavalo de Guerra», de Steven Spielberg
«A Invenção de Hugo», de Martin Scorsese
«Moneyball - Jogada de Risco», de Bennett Miller
«Os Descendentes», de Alexander Payne
«As Serviçais», de Tate Taylor
«O Artista», de Michel Hazanavicius
«Meia-Noite em Paris», de Woody Allen
«A Árvore da Vida», de Terrence Malick
«Extremamente Alto, Incrivelmente Perto», de Stephen Daldry


 
 Melhor Realizador

Woody Allen, por «Meia-Noite em Paris»
Michel Hazanavicius, por «O Artista
Alexander Payne, por «Os Descendentes»
Martin Scorsese, por «A Invenção de Hugo»
Terrence Malick, por «A Árvore da Vida»




 

Melhor Actor

Demián Bichir, em «A Better Life»
Jean Dujardin, em «O Artista»
George Clooney, em «Os Descendentes»
Brad Pitt, em «Moneyball - Jogada de Risco»
Gary Oldman, por «A Toupeira»




Melhor Actriz

Glenn Close, em «Albert Nobbs»
Viola Davis, em «As Serviçais»
Rooney Mara, em «Millennium 1: Os Homens que Odeiam as Mulheres»
Meryl Streep, em «A Dama de Ferro»
Michelle Williams, em «A Minha Semana com Marilyn»


Melhor Actor Secundário

Kenneth Branagh, em «A Minha Semana com Marilyn»
Jonah Hill, em «Moneyball - Jogada de Risco»
Christopher Plummer, em «Assim é o Amor»
Nick Nolte, em «Warrior»
Max Von Sydow, em «Extremamente Alto, Incrivelmente Perto»




 
Melhor Actriz Secundária

Bérénice Bejo, em «O Artista»
Jessica Chastain, em «As Serviçais»
Janet McTeer, em «Albert Nobbs»
Octavia Spencer, em «As Serviçais»
Melissa McCarthy, em «A Melhor Despedida de Solteira»



 

Melhor Argumento Original 

Michel Hazanavicius, «O Artista»
Woody Allen, «Meia-Noite em Paris»
Annie Mumolo e Kristen Wiig, «A Melhor Despedida de Solteira»
J.C. Chandor, «Margin Call»
Asghar Farhadi, «Uma Separação»




Melhor Argumento Adaptado

Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash, «Os Descendentes»
John Logan, «A Invenção de Hugo»
George Clooney, Grant Heslov e Beau Willimon, «Nos Idos de Março»
Steven Zaillian e Aaron Sorkin, «Moneyball - Jogada de Risco»
Bridget O'Connor e Peter Straughan, «A Toupeira»



 

Melhor Longa-metragem de Animação

«Chico e Rita»
«Une Vie de Chat»
«O Panda do Kung Fu 2»
«O Gato das Botas»
«Rango»



Melhor Filme de Língua Estrangeira

«Bullhead«, Bélgica
«Footnote», Israel
«In Darkness», Polónia
«Monsieur Lazhar», Canadá
«Uma Separação», Irão


 


Melhor Direcção Artística

«O Artista»
«Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2»
«A Invenção de Hugo»
«Meia-Noite em Paris»
«Cavalo de Guerra»



Melhor Fotografia

«O Artista»
«A Invenção de Hugo»
«Cavalo de Guerra»
«A Árvore da Vida»
«Millenium 1 - Os Homens que Odeiam as Mulheres»






Melhor Guarda-Roupa

«Anónimo»
«O Artista»
«A Invenção de Hugo»
«Jane Eyre»
«W.E.»




Melhor Montagem

«O Artista»
«Os Descendentes»
«Millenium 1 - Os Homens que Odeiam as Mulheres»
«A Invenção de Hugo»
«Moneyball - Jogada de Risco»





Melhor Caracterização

«Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2»
«A Dama de Ferro»
«Albert Nobbs»



Melhor Banda-sonora Original

Ludovic Bource, «O Artista»
Howard Shore, «A Invenção de Hugo»
John Williams, «Cavalo de Guerra»
John Williams, «As Aventuras de Tintin: O Segredo do Licorne»
Alberto Iglesias, «A Toupeira»





Melhor Canção Original

«Man or Muppet», de «Os Marretas», Música e Letra de Bret McKenzie
«Real in Rio» de «Rio», Música de Sérgio Mendes e Carlinhos Brown e Letra de Siedah Garrett


Melhores Efeitos Sonoros

«Drive - Risco Duplo»
«Millenium 1 - Os Homens que Odeiam as Mulheres»
«A Invenção de Hugo»
«Cavalo de Guerra»
«Transformers 3»



Melhor Som

«Millenium 1 - Os Homens que Odeiam as Mulheres»
«A Invenção de Hugo»
«Cavalo de Guerra»
«Transformers 3»
«Moneyball - Jogada de Risco»





Melhores Efeitos Visuais

«Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2»
«A Invenção de Hugo»
«Transformers 3»
«Puro Aço»
«Planeta dos Macados: A Origem»



Melhor Documentário - Longa-metragem

«Hell and Back Again», de Danfung Dennis e Mike Lerner
«If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front», de Marshall Curry e Sam Cullman
«Paradise Lost 3: Purgatory», de Charles Ferguson e Audrey Marrs
«Pina», de Wim Wenders
«Undefeated», de TJ Martin, Dan Lindsay e Richard Middlemas



 
Melhor Documentário - Curta-metragem

«The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement»
«God Is the Bigger Elvis»
«Incident in New Baghdad»
«Saving Face»
«The Tsunami and the Cherry Blossom»





Melhor Curta-metragem de Animação

«Dimanche/Sunday»
«The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore»
«La Luna»
«A Morning Stroll»
«Wild Life»


 


Melhor Curta-metragem de Imagem Real

«Pentecost»
«Raju»
«The Shore»
«Time Freak»
«Tuba Atlantic»

[À Lareira Com] - Diana Tavares - Autora de "Donzela Sagrada"

Bom Dia Tertulianas(os). Bom Domingo.
Hoje é dia de conversar à lareira. Como convidada de hoje temos Diana Tavares. Conhecem? Vamos espreitar:)


À Lareira com... Diana Tavares - Autora da duologia "Donzela Sagrada"

Diana Tavares, tem 19 anos, é de Almada e estuda Jornalismo. É autora da duologia "Donzela Sagrada", cujo primeiro livro se chama "Donzela Sagrada – O Segredo de Thunderland"

Como e quando surgiu a ideia de escreveres os teus livros?

A minha madrinha conta-me que sempre tive um talento nato para contar histórias, e lembro-me de querer ser escritora desde os 7 anos. Aos 9, tornou-se passatempo meu escrever histórias para mim, passar as minhas ideias malucas para o papel mais próximo. A ideia para DONZELA SAGRADA foi de facto uma colecção de ideias que acumulei ao longo da minha adolescência, e aos 16 anos, na noite de 25 de Abril de 2009, comecei a escrever a duologia.

Fala-nos um pouco sobre o teu primeiro livro

DONZELA SAGRADA – O Segredo de Thunderland é a primeira parte da duologia que foca a jornada das jovens Horae Hana e Prue nas terras de Thunderland, num mundo paralelo ao nosso, onde a mitologia é a realidade. Hana, a protagonista, é conjurada para este mundo místico no dia do seu décimo quarto aniversário, depois da sacerdotisa desse reino ter, segundo contam as personagens que ela conhece, fugido à lei. Depois de descobrir que é uma Horae, uma criatura de mito, parte de uma linhagem lendária, Hana, na companhia de Prue e outras personagens que vai conhecendo pelo caminho, inicia uma jornada pelo reino misterioso de Thunderland, tentando concluir a missão que os deuses lhe incumbiram para poder voltar para casa. Mas em Thunderland, nem tudo é o que parece… e o segredo que estas terras escondem vai mudar a sua vida. 

É uma saga de dois livros. Quando poderemos contar com o próximo?

O segundo livro já saiu também, no passado 25 de Novembro. Mas não sairá em loja, apenas on demand.  Chama-se DONZELA SAGRADA – A Filha dos Três Sangues. Podem também pedir através do meu email horaediana@gmail.com

Quais são as tuas influências e onde vais buscar a tua inspiração?

Influências não tenho, no sentido de que nenhum autor em particular me inspira em termos de estilo de escrita. Escrevo como eu quero escrever e pronto. Onde vou buscar inspiração… tudo na minha vida, e tudo o que leio, vejo, oiço, pode ser uma inspiração para mim. Mas quando trabalho numa história, a minha maior inspiração na criação é música. Adoro encostar-me às almofadas, ouvir uma boa melodia ou uma canção e simplesmente fechar os olhos e ver que imagens me surgem na mente. Essas imagens serão, em breve, uma história no papel.

Para além da escrita, tens algum hobbie?

Quando não estou a escrever, estou a ler, a ver séries, a dedicar-me aos estudos (que é algo que faço com muito gosto porque adoro o meu curso) e acima de tudo, estou a passar todo o tempo possível a viver momentos felizes com os meus amigos e aqueles com quem me sinto feliz. Seja a viajar ou simplesmente a beber um café. O meu hobbie é viver a vida com aqueles de quem gosto.

Gostas de ler? Tens algum género literário preferido?

Adoro ler, quando não leio alguma história interessante durante mais de uma semana fico a sentir-me mal comigo própria, como se faltasse ali qualquer coisa. Quanto a géneros literários preferidos… não. Leio uma biografia histórica ou um livro de uma história verídica tão depressa como leio a mais recente história de fantasia, e leio com igual entusiasmo. Tudo o que é preciso é que me cative. 

Quais são as tuas perspectivas para o futuro?

Sucesso. Acabar o curso com as melhores notas e oportunidades possíveis. Sair de casa e correr em direcção ao meu futuro, que sei que, se me esforçar e continuar com os resultados que tenho tido, será bastante promissor. Conseguir ter uma boa carreira tanto na literatura como no jornalismo. Sucesso no campo pessoal… Se continuar a trabalhar com afinco e não me recostar, esse será o meu futuro, tenho a certeza.

O que podes dizer aos nossos leitores?

Posso dar a conhecer o meu lema, a todos os leitores. “A Realidade é um mero reflexo da nossa força de vontade”. Esta tem sido a verdade que aprendi com a minha experiência. 

Obrigada Diana Tavares